Aqueles que agem contra a Educação e a favor da PEC 241 estarão com suas mãos sujas por 20 anos

No último dia 28/10 do mês passado (Dia do Servidor Público), um dia após a deflagração da Greve, a Diretoria do SINTUFSCar foi surpreendida com uma Notificação Judicial, que atendia um pedido da atual Reitoria da UFSCar. Mas o que continha este pedido e do que se tratava?

O Pedido era mais um Ataque contra a Categoria dos Servidores Técnico-Administrativos da UFSCar, se já na bastasse termos que lutar contra a Política de Arrocho Salarial promovido pelo Governo Federal, a PEC 241, a Reforma da Previdência, a Decisão do Supremo Tribunal Federal que autoriza o Desconto dos dias parados em caso de Greve, agora temos uma Liminar pedida pela Reitoria da UFSCar, e concedida pela Justiça Federal de São Carlos, obrigando que 30% dos Servidores do Restaurante Universitário e da Biblioteca do Campus de São Carlos, trabalhem durante a Greve, sob a pena de multa diária de R$ 50.000,00 (Cinquenta Mil Reais).

Na última Reunião do ConsUni foram aprovadas duas Moções que são contrárias a PEC 241, mas nenhuma delas declara apoio a Greve dos Servidores Federais, que neste momento lutam contra a Aprovação da PEC 241, agora PEC 55 que tramita no Senado Federal.

Ao judicializar a Greve a Reitoria da UFSCar, se coloca ao lado daqueles que são favoráveis à aprovação da PEC 241, ou seja, cerra fileiras ao lado daqueles que são Contra a Educação Publica, contra o SUS, contra a Política de Cotas, contra a Permanência Estudantil e a Favor do Arrocho Salarial e do pagamento de Juros para Banqueiros.

Sendo assim, a Diretoria do SINTUFScar repudia mais uma vez a postura da Reitoria da UFSCar, que abandona o dialogo com a Categoria dos Servidores Técnico-Administrativos e busca através da Justiça, criminalizar o Movimento de Luta de uma Classe de Trabalhadores.

SINTUFSCar, 01 de novembro de 2016
Diretoria SINTUFSCar
Gestão 2015 – 2016

Confira o Documento:
download-btn

Comentários

comentários

Comentários não permitidos.

X